Arquitetando Estilos

CASAR SEM ESTAR CASADO

Hoje vamos falar de casamento?

O significado de casamento segundo o dicionário online Michaelis, coloca:

“Ca.sa.men.to sm (der de casar+mento, como esp casamiento) 1 Ato solene de união entre duas pessoas; casório, matrimônio. 2 Cerimônia que celebra vínculo conjugal; matrimônio. 3 Jur União de um casal, legitimada pela autoridade civil; matrimônio. 4 fig Vínculo de qualquer natureza. 5 Arranjo harmonioso de duas ou mais coisas”.

Mas o casamento vai muito além de um conceito do dicionário. Construímos e reproduzimos os nossos valores com aquilo que vivenciamos e aprendemos em toda a trajetória de nossa vida, ou seja, nós construímos o nosso próprio conceito, e a partir dessa construção, agimos a favor ou contra ele.

Por que “a favor ou contra”?

Podemos usar do que aprendemos para nos favorecer, por exemplo, quando visualizamos e reproduzimos certos comportamentos de outros casais que acreditamos ser favoráveis para nossa relação com o outro, ou também podemos reproduzir comportamentos inadequados que julgamos errados, mas fazemos igual.

Utilizo o termo “casar sem estar casado”, quando ficamos estacionados apenas no conceito do dicionário, sem saber ou colocar em prática comportamentos que favorecem o vínculo familiar.1_1_130403122032_adesivo-de-parede---corujas-e-galho

O casamento é a construção dessa nova família, e todos os integrantes dela são responsáveis pela manutenção da mesma. Escrevo isso, pois percebo que dentro de um casamento, é muito comum vermos apenas um batalhando para que esse relacionamento seja harmonioso, e o outro fica “estacionado”, ou trocando o termo, acomodado.

Como tudo na nossa vida, precisamos dispor uma quantidade suficiente de energia para conseguirmos atingir o nosso objetivo. Por exemplo, o objetivo de muitos, para não falar de todos, é ganhar dinheiro, seja para apenas pagar as suas contas de todo mês ou porque almeja algo maior, e para isso, é necessário estudar, planejar, colocar em prática e batalhar muito por isso. O sucesso de seu objetivo dificilmente acontecerá se não injetar uma grande quantidade de energia física e emocional, em outras palavras, o dinheiro não irá aparecer “do nada”.

Casamento é a mesma situação. Queremos ser felizes nele, mas se não buscarmos  nos mover em direção desse objetivo, ficará muito difícil.

Não existe uma regra que todos os casais apenas são felizes de uma maneira. Como toda pessoa é única, todo casal também é. Por isso, o mais importante é identificar quem somos nessa relação e quem é esse outro que eu estou me envolvendo. Quando falamos em “quem somos”, inclui saber o que eu quero, como eu quero, do que eu gosto e o que me satisfaz. Como uma relação não se constrói sozinha, precisa de uma segunda pessoa, esta não pode ser esquecida, portanto, quem é o outro, qual a necessidade do outro, o que o satisfaz… e unir esses dois princípios, e é nesse momento a grande dificuldade do relacionamento: NÃO ME DEIXAR DE LADO E NÃO DEIXAR O OUTRO DE ESCANTEIO.

Difícil, não é mesmo? Mas super importante, e nada impossível. Bem na verdade esse é o segredo de muitos casais bem-sucedidos no relacionamento.

Primeiro: EU. O autoconhecimento nos proporciona vivenciarmos mais quem realmente somos, conseguindo identificar quais as nossas necessidades, valores, princípios e limites, podendo desfrutar de situações prazerosas até então desconhecidas. O autoconhecimento pode facilitar o envolvimento com uma segunda pessoa. Quando nos conhecemos e nos compreendemos, fica muito mais fácil essa interação, pois sabemos o que nos faz ou não nos faz bem. Devemos identificar quais as nossas qualidades e defeitos, identificar sentimentos, ações e reações, com a finalidade de não anularmos tudo o que construímos de quem somos para viver apenas o que é do outro. A partir dessa auto identificação, saber manifestar é o ponto chave para que o outro nos compreenda.

Segundo: O OUTRO. Deixar com que o outro também nos mostre quais são as suas necessidades, valores e afins é essencial para uma relação harmoniosa. Em um casamento, devemos olhar em direção ao outro, e identificar questões importantes para ele. Não podemos nos restringir apenas a nós, mas direcionar um interesse em identificar quem é ele, do que e como gosta, quais são os seus limites, entre outras características que fazem toda a diferença na relação a dois.

Terceiro: EU E O OUTRO. Unir o que é meu com o que é dele, ou seja, interligar os meus valores e minhas necessidades com os valores e necessidades do outro, sem deixar o limite de ambos de lado. Parece ser complicado, mas não é.

Vou explicar melhor:

Devemos identificar o que realmente é importante para nós, quais são os nossos valores, o que nos faz bem e o que nos faz mal. Essa pode ser a tarefa mais difícil. Na relação com o outro, deixar a “porta aberta” para o outro mostrar o que é importante para ele também. Unir essas duas importâncias, sempre pesando o que pode ser modificado, anulado e adaptado dentro do relacionamento.

Se nos limitarmos apenas ao que é importante para nós, teremos grandes conflitos na relação. Se anularmos o que é importante para nós, vivendo apenas o que é importante para o outro, podemos vivenciar sentimentos negativos. Portanto, precisa ter um equilíbrio entre o que é meu e o que é do outro. Então, a identidade do casal vai sendo formada com este envolvimento.

Com comunicação, compreensão e respeito é possível identificarmos e compreendermos o grau de importância que um determinado assunto tem, e a partir dessa compreensão, podemos agir favorecendo o nosso relacionamento.

O casamento pode trazer inúmeras felicidades, principalmente quando os dois são ativos nessa busca de momentos mais felizes!

Quando há mais infelicidade do que felicidade, significa que não estão sabendo conduzir. Nesse caso, a terapia de casal pode auxiliar ambos a trabalhar com as suas e as dificuldades do outro.

Não fala, não escuta, não compreende, não respeita, não age?! Será que você está indo em direção ao seu propósito de estar casado (a)? Qual a direção que você quer seguir? Estou feliz com o outro? O outro é feliz comigo?

Essas reflexões nos ajudam a analisar como está o nosso casamento, e a traçar metas de mudanças, e isso só é possível os dois fazendo juntos!

Invista essa energia positiva no seu casamento, com certeza será muito gratificante. Lembre-se que dentro dessa união, a responsabilidade não é apenas do outro, mas nossa também de buscarmos sorrir e brincar com os bons momentos juntos!

Super abraço,

Adriana Visioli

Adriana Visioli

Sobre Adriana Visioli

Psicóloga com especialização em Análise do Comportamento e Terapia Sexual e de Casal.
Cascavel - PR.

Visite meu site
Todos os posts

Posts Aleatórios

Adriana VisioliCASAR SEM ESTAR CASADO

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *