Arquitetando Estilos

Compreendendo a Psicoterapia de Casal

Para que serve?

Como funciona?

Preciso mesmo ir?

Quando é a hora de procurar uma ajuda?

Essas, dentre outras dúvidas podem estar presentes para alguns casais. Tentarei ser breve sobre o assunto, mas que eu consiga levar um pouco de compreensão sobre esses questionamentos.

O foco de atuação na psicoterapia conjugal é a relação, o vínculo e as individualidades, as quais são colocadas em diversos níveis, como os aspectos da cultura em que cresceram e que estão atualmente inseridos, educação, religião e todo desenvolvimento que servem como uma bagagem para reproduzirmos quem somos. As individualidades exercem uma influência muito grande no vínculo, como os valores, necessidades e dificuldades.

Em detrimento de tantas informações, quando falamos em terapia de casal, trabalha-se com o CASAL, em sessões individuais e em conjunto. Por mais que um pode ter mais dificuldades que o outro, ou agir de forma inadequada, os dois precisam estar conscientes que está refletindo dentro do relacionamento, e isto está sendo um problema para OS DOIS, ou seja, para “resolver” juntos, e ambos precisam ser participantes ativos não apenas da terapia, mas do envolvimento que se devem ter no dia a dia.

Muitas vezes consideramos o que é nosso e a nossa forma de pensar a mais correta, e temos uma tendência a defender esse pensamento. Porém, nem sempre o que é do outro está errado. Considerar que as pessoas são diferentes, e compreender a forma de ser do outro, é um passo para iniciar um processo de reestrutura do relacionamento.

É importante pontuar que compreender nem sempre é aceitar, mas ter um olhar em direção ao outro, o que isto se torna essencial quando falamos em relacionamentos saudáveis.

Não existe o casal perfeito, sem nenhum tipo de conflito ou divergência de ideias. É natural divergir em alguns pontos, até porque precisamos lembrar que somos pessoas diferentes uns dos outros, porém, existe um limiar entre a forma correta ou inadequada de resolver determinadas situações que serão as ferramentas que o casal usará, e nem sempre utilizam a ferramenta certa ou da forma correta, desestabilizando o “viver a dois”.

Precisamos nos conscientizar que se relacionar não é uma tarefa simples, pois precisamos desenvolver habilidades para resolver os problemas de convivência, mas como tudo pode ser aprendido, a inteligência dos casais bem-sucedidos está na disponibilidade que ambos se proporcionam a aprender e praticar tais habilidades e comportamentos em prol de um relacionamento mais estável e saudável, ou seja, que seja possível trazer mais felicidade.

Quando um dos componentes ou os dois não se abrem para isto, o relacionamento fica cada vez mais conflituoso, interferindo de forma negativa na vida do casal e também individual, podendo abranger até no contexto profissional.

Mas será que é necessário o relacionamento entrar em um “caos” para procurar uma ajuda?

Sempre que o casal tiver dificuldades e identificarem divergências importantes e repetitivas, percebendo que sozinhos não estão conseguindo lidar com elas e chegar a um acordo com seus próprios recursos, essa pode ser uma boa hora de agendar com um psicólogo que atue com casais.

O psicólogo auxiliará o casal a identificar a (s) situação (ões) problema, e juntos buscar as ferramentas adequadas para equilibrar essa desarmonia.

Quanto mais se estende o problema, a tendência é ele aumentar. Se calar, “fingir” que está tudo bem, não irá resolver.

Alguns pensamentos que podem atrapalhar:

Sou assim mesmo e não vou mudar”.

“Só o outro é errado”.

“Quero que o outro mude, eu não preciso mudar”.

“Não gosto quando o outro reclama, prefiro deixar falando sozinho”.

“Sou orgulhoso (a) sim, não vou atrás”.

“Não quero te escutar”.

E muitos outros que a pessoa não se dá conta do quanto pode contribuir para destruir o relacionamento.

Identificar nosso erro não é fácil, às vezes é dolorido, e por isso muitos fogem da psicoterapia. Se torna mais fácil apontarmos o outro, e não reconhecermos o que é nosso. Mas quando fazemos parte desse conserto, a probabilidade de dar certo é muito maior.

Portanto, a psicoterapia de casal serve para isto, identificar e ajudar o casal a trabalhar com suas dificuldades, possíveis mudanças de pensamento e comportamento. Quando a dedicação está presente, tudo pode se tornar mais fácil e gratificante.

Avalie como está o seu relacionamento e como gostaria que estivesse. Como você quer estar com a pessoa que está ao seu lado daqui a 5, 10, 20 anos?

Para refletir, algo que sempre coloco, e acredito que já escrevi sobre isso em outro texto, mas porque nos dedicamos tanto a resolver problemas do trabalho e financeiro, e deixamos o relacionamento de lado? A nossa felicidade depende de um conjunto de fatores, inclusive com quem dividimos uma convivência dentro de casa.

Cada um possui a sua responsabilidade para a harmonia do relacionamento. A inteligência dos casais bem-sucedidos e que querem ficar juntos está em buscar aprender, praticar e facilitar para uma boa convivência, e não direcionar para o afastamento.

O que a Psicoterapia de Casal pode fazer? Auxiliar nesse processo de organizar a interação do casal e reposicionar nos trilhos corretos para refletir em uma convivência muito mais saudável, feliz e confortante.

Forte abraço,

Adriana Visioli

Adriana Visioli

Sobre Adriana Visioli

Psicóloga com especialização em Análise do Comportamento e Terapia Sexual e de Casal.
Cascavel - PR.

Visite meu site
Todos os posts

Posts Aleatórios

Adriana VisioliCompreendendo a Psicoterapia de Casal

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *