Arquitetando Estilos

Jericoacoara: O mais novo paraíso do Nordeste!

Salve viajantes!!!

No post de hoje vou contar um pouco de um destino brasileiro que está super em alta e vários sites da área de turismo vem dando ênfase,  um  pequeno município nordestino localizado a 287 km de Fortaleza  cujo forte é praia, sol e mar.

Jijoca de Jericoacoara ou “Jeri” para os íntimos é o destino da vez. Antes conhecida apenas como uma vila de pescadores e situada ao noroeste do Ceará é hoje um dos destinos mais procurados quando se procuram águas cristalinas e sossego, tendo sido eleita no ano de 2013 a praia mais bonita do Brasil e uma das 10 mais belas do mundo pelo Jornal americano The Washington Post.

Quando devo ir, Ana?

Ceará é conhecido como um dos estados nordestinos que menos chove, no entanto evite ir nos meses de março e abril que são os meses que costuma chover nessa região. A melhor época seria de agosto a dezembro.

E como chegamos a Jericoacoara?

Saindo de Fortaleza você vai encarar uma viagem de aproximadamente 6 horas de ônibus e a empresa que realiza esse trajeto é a Fretcar, com passagens em torno R$ 82,00 e pela sua localização é necessário realizar uma parte em ônibus e a outra em transfer (veículo 4×4).

Outra opção é adquirir um transfer com algum receptivo que faz os aproximados 300 km em veículo 4×4, com valores aproximados de R$ 150,00.

Esse ano o município de Jijoca ganhou seu primeiro aeroporto – Comandante Ariston Pessoa – onde a Companhia Aérea Azul está fazendo voos diretos apenas com saída de Recife.

A partir de São Paulo/SP podemos ter duas ou três paradinhas e o preço ainda é um pouco salgado (podendo alcançar a facada de R$ 2.000,00 reais). Por isso a melhor maneira e mais barata é chegar por Fortaleza que possui mais opções de voos diários com a possibilidade de ficar de 1 a 2 dias na capital e depois seguir cedinho ao paraíso cearense.

O que não recomendo é alugar um carro pela condição precária das estradas. E outra, chegando lá vai ter que deixar o carro parado no hotel, pois na região central praiana não permite a passagem de carros e motos.

DICA:

A novidade é que a partir do dia 06 de dezembro a Gol vai iniciar a operação de voos diretos com saída de São Paulo, nas quartas e sábados. As passagens já estão a venda, e os valores ainda não estão tão atrativos.

E quantos dias devo ficar?

Eu recomendo que faça um roteiro-combo, que seria Fortaleza+Jericoacoara. Entre 3 a 4 dias são suficientes para aproveitar bem o local.

Para os que podem esticar a viagem em uma semana a recomendação é pousar de 1 a 2 dias na ida em Fortaleza e mais um na volta para descansar.  O trajeto é longo e vão precisar.

Além disso, dessa forma é possível conhecer dois destinos fantásticos em uma única viagem, dando uma boa economizada.

E fala sério!? Poder combinar o sossego das praias de Jeri com a adrenalina da atração Insano no Beach Park em Aquiraz é tudo de bom, fechando com chave de ouro em um bom show de humor na noitada de Fortaleza ou um passeio na maior Feirinha de Artesanato do Nordeste, seria perfeito.

Onde ficar?

Por ser um pequeno vilarejo com pouco mais de 17 mil habitantes nada fica muito distante. As ruas principais são Rua do Forró, Principal e Santo Antônio. Não se preocupe com as distâncias que o meio de locomoção serão seus pés…rs.

Inicialmente havia apenas pousadas mais simples no estilo rústico, o que se adequava bastante ao local. Hoje Jeri é capaz de oferecer pousadas menores, mais luxuosas e até um belíssimo resort – o famoso Essenza.

Fiquem tranquilos que têm opções para todos os bolsos.

E o que fazer?

Ao chegar aproveite para conhecer a vilinha composta por oito ruas, então a metade do dia é suficiente para conhecer tudo. O passeio é bem gostoso e embora a cidade seja pequeninha e muito fofa.

Separe 3 dias inteiros para os principais passeios e divida em lado leste para um, lado oeste para o outro e pedra furada por ultimo.

Os passeios são feitos de quadriciclos ou bugue cada um tendo seu benefício e custo.

DICA:

Alugar um bugue é sempre uma boa opção pelo valor, já que o preço é único e como tem capacidade para até 4 pessoas é possível dividir os gastos. O custo é entre R$ 400 a R$ 600 reais o carro.

Imagem: site – O mundo aos seus pés

1º Dia – Vá para o lado leste

A primeira coisa é fazer uma parada na Praia de Preá e visitar a Árvore da Preguiça, que virou atração pelos seus longos galhos se estendem por cerca de 4 a 5 metros de distância da árvore e isso ocorre devido aos fortes ventos na região e como a árvore não tem força suficiente para se erguer é dali que vem o nome. É bem bacana parar para tirar fotos por lá.

De tarde é hora de conhecer a Lagoa Azul e Lagoa do Paraíso, principais cartões postais de Jeri.

Para aqueles que preferem a simplicidade a Lagoa Azul é a opção correta, enquanto a Lagoa do Paraíso é a mais conhecida.

Em qualquer uma que for vão achar que estão no Caribe, com suas águas transparentes e sua areia branquinha. Nada melhor do que desfrutar de uma cerveja bem gelada (no meu caso rs) deitado numa das espreguiçadeiras dos muitos restaurantes e bares que possuem redes sobre a água. Isso é mais que paraíso.

Sobrando um tempo pode pedir ao bugueiro para dar uma parada em Barrinha, uma duna com lagoas bem parecidas com Lençóis Maranhenses.

Se for conhecer a Pedra Furada, que também fica ao leste, é bom tire um dia inteiro para o passeio.

2º Dia – Vá para o lado Oeste

O lado oeste é bem diversificado iniciando pelo Mangue Seco, onde é possível pegar uma canoa para se deslocar até os mangues e fazer o passeio no Parque Nacional dos Cavalos Marinhos. Particularmente não gosto muito desse tipo de atividades, porque eles pegam o cavalinho e colocam em um vidro com água, sinto que o bichinho sofre com isso.

A volta de canoa geralmente tem o custo de R$ 15,00 por pessoa.

A continuação passe pela Praia de Tatajuba e dê uma parada na Lagoa que leva o mesmo nome e aproveite as dunas soterradas para fazer descidas de esquibunda. O preço é em torno de R$ 5,00 por descida.

A Lagoa também oferece uma boa estrutura para almoçar, contudo, o ponto negativo é que não há muitas opções de restaurantes e a comida é um pouco cara. O preço, entretanto, é uma barganha se comparado com a paisagem fantástica e a bela duma soneca numa rede dentro da água.

Voltando para a vila não deixe de presenciar o pôr do sol na duna, que fica ao norte da Praia de Jeri. Não é muito longe, mas tem que gostar de caminhar e ter disposição. Só não vai chegar atrasado porque isso ocorre por volta das 17h a 18h. A caminhada é de cerca de 200 metros desde o centrinho de Jeri e vale muito a pena ver o espetáculo.

DICA:

Muito cuidado ao levar chapéus e óculos, pois essa região costuma ventar bastante e pode facilmente levar seus pertences embora.

3º Dia – Pedra Furada

Ir a até Jericoacoara e não conhece a Pedra Furada é como ir a Paris e não visitar a torre Eiffel. Prepare um dia inteiro para desfrutar do cartão postal da cidade.

Localizada a 4km da praia de Jericoacoara a Pedra Furada é uma uma formação rochosa decorrente de milhares de anos das ondas batendo nas pedras, resultando em um formato que lembra o Arco do Triunfo em Paris.

O deslocamento poderá ser feito a cavalo, buggy ou caminhada pela beira mar.

Durante a maré baixa aconselho a tomar o caminho pela Praia Malhada, onde a paisagem é espetacular, aproveitando o trajeto para conhecer as piscinas naturais da região repleta de peixinhos coloridos. A duração do trajeto gira em torno de 1h a 1:30h e vale super a pena.

Em maré alta a saída é ir pelo Morro Serrote, entretanto, é mais perigoso devido às pedras no caminho. Um ponto positivo é caso possa ir bem cedinho, pois o nascer do sol visto através do Morro do Serrote, é uma experiência imperdível.

Espere o entardecer para admirar o espetáculo do pôr do sol. Nos meses de julho é possível ver o sol se pondo bem no meio do buraco da pedra.

DICA 1:

Para saber como estão as marés basta acessar a internet e dar uma conferida. Para mais informações CLIQUE AQUI.

Jericoacoara

Fim da Viagem

Chegou a hora de ir embora (ahhhhhhhhhhh). Em seu último dia é bom aproveitar a praia do centro da vila, para praticar alguns dos muitos esportes aquáticos (aulas de Kitsurf, Windsurf, Sup e até mesmo surf).

Não deixe de aproveitar as noitadas de Jeri regadas a ritmos para todos os gostos dede forró a rock roll, com muita voz e violão nos barzinhos da cidade com iluminação rústica de lanternas.

De madrugada, não deixe de comer na padaria Santo Antônio. A padaria só abre às 2h da madrugada e oferece pão quente com queijo, nozes de coco, mel e banana saindo diretamente do forno.

Curiosidade sobre Jeri

A energia elétrica chegou há pouco mais de 10 anos, graças a uma instalação de rede subterrânea. Não há iluminação pública na vila, devido à forma de transmissão, o que dá um charme todo especial no local que acaba sendo iluminado pela luz das estrelas e da lua.

Para alguns pode parecer um atraso tecnológico, mas não para os moradores que preferem manter a cidade com um toque rústico, o que faz da cidade ser única entre tantas outras.

Se for se valer de internet 3G aviso que não é uma das melhores. Mas Jeri já conta com ótimos hotéis e pousadas que oferecem o serviço de Wi-Fi.

Atenção:

Em Jeri não há bancos, apenas um caixa eletrônico do Bradesco. Apesar dos lugares maiores terem máquinas de cartões de crédito nem sempre estão com sinal ativo, por isso a dica é sempre levar trocadinhos e dinheiro vivo, já que caso tenha que sacar dinheiro terá que se deslocar até o município de Jijoca, que fica 23km do Parque Nacional de Jericoacoara.

Outra novidade é que a partir do dia 21 de setembro de 2017 começou a ser cobrada uma taxa de R$ 5,00 ao dia por visitante entre 13 e 59 anos para ficar na vila.

É recomendável entrar no site da prefeitura e gerar o boleto para pagamento dos dias que irá permanecer por lá, visto que chegando ao hotel já vão lhes cobrar o pagamento no momento do check in.

A sugestão de pago antecipado é porque caso deixe para efetuar o pagamento por lá, existem apenas 02 pontos de atendimentos que recebem o boleto.

E ai, preparados para se jogar nesse paraíso? E lembre-se consulte um bom agente de viagem! Até a próxima a aventura!!!

DICA 2:

Leve água e algo para comer. É possível encontrar ambulantes pelo caminho, porém, não é garantido e há poucos quiosques durante a caminhada.

Ana Luiza Rodrigues

Sobre Ana Luiza Rodrigues

Agente de Viagens CVC com formação em Turismo, MBA Europeu em Política e Economia do Turismo e MBA em Gestao de Pessoas.
Fone: (45) 98812-3095
Foz do Iguaçu - PR.

Todos os posts

Posts Aleatórios

Ana Luiza RodriguesJericoacoara: O mais novo paraíso do Nordeste!

Related Posts

Deixe uma resposta