Arquitetando Estilos

La garantía, no soy yo!

Olá cerezumanos!

Daqui uns dias vocês estão todos aqui sassaricando pelas ruas da fronteira, cheios de comprinhas para fazer, e um assunto pouco divulgado são as – muitas vezes necessárias – garantias.

Ao contrário do que os novos ricos pensam, uma boa marca não é a que o produto jamais dá defeito, porque isso não existe. A boa marca tem um excelente pós venda – que é a forma que ela te trata quando o produto dela dá ruim.

Grandes marcas, como Apple, Samsung, Le Creuset oferecem garantia mundial. Outras, mesmo que grandes, transferem a responsabilidade de “acolher” o item defeituoso para o revendedor, no caso, as lojas.

Cada loja tem sua política própria, temos que lembrar que estamos falando de Paraguay então as leis de consumidor são diferentes e. para um estrangeiro, eles não fazem questão nenhuma de aplicar das formas que estão explícitas.

De modo geral, as lojas pedem que você apresente a Nota Fiscal – que nem sempre eles emitem. Assim como no Brasil de antigamente a graaaaaaaaaaaaaaaaaaande maioria das lojas oferece uma nota de controle. Se for comprar algo que julgue importante o acesso a garantia, solicite ao vendedor a “Factura” para que você reconheça, nela estará expresso o número do “RUC” que é o equivalente ao nosso CNPJ.

Outro fato que algumas pessoas não internalizam é que, como a compra foi feita em outro país, não é possível solicitar troca por correios. Sim, é necessário que alguém traga a mercadoria para análise e que retire posteriormente a peça consertada ou a nova.

Os prazos também variam, nada tem nossos incríveis 12 meses de garantia. Quando a própria marca não oferece um prazo longo assim, as lojas costumam oferecer períodos de um até três meses.

O ideal é que o cliente provenha a caixa original junto com a nota. E esses detalhes só vão piorando para nós.

Então a verdade é que existe respaldo sim, temos direitos sim, contudo temos que nos atentar de que a garantia é oferecida quase que em sua totalidade aqui na cidade da compra. Não é diferente de comprar em Miami, Nova Iorque, Paris ou qualquer outra cidade do mundo.

Caso aconteça algo existe a “Polícia Turística” que atende a brasileiros e que fica na aduana do Paraguay, ali pertinho do Shopping Del Este e o Shopping Box.

 

Posts Aleatórios

Lelo AzuosLa garantía, no soy yo!

Related Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *