Arquitetando Estilos

Um Estudo em Vermelho

Um clássico dos romances policiais, personagens com características marcantes, mistérios, pistas, um cachimbo, um manco (será?), uma rua (Baker Street) e um número (221B)… Adivinhou? Não? Não mesmo, meu caro leitor? Hehe

E para quem falou Sherlock Holmes, os meus parabéns!!!!

Com toda certeza os livros de Arthur Conan Doyle estão dentre os livros mais fascinantes que já li. Hoje, escolhi falar de um dos romances policiais mais famosos do autor: Um Estudo em Vermelho.

“O cadáver de um homem, nenhuma razão para o crime. É a primeira investigação de Sherlock Holmes, que fareja o assassino como um “cão de caça”. Lamentava-se de que “não há mais crimes nem criminosos nos nossos dias”, quando, nesse instante, recebe uma carta a pedir a sua ajuda — o cadáver de um homem foi encontrado numa casa desabitada, mas não há qualquer indício de roubo ou da natureza da morte. Sherlock Holmes não resiste ao apelo, mas sabe que o mérito irá sempre para a Polícia.”

 

O livro é narrado em primeira pessoa, porém se engana quem achar que quem o narra é o Sherlock Holmes. Apesar de ser o nome que intitula a série, é o “Caro Watson” que narra e nos guia durante boa parte do livro, e às vezes, até nos ajuda a entender a mente brilhante do detetive. Ou nos deixa mais em dúvida ainda sobre as “esquisitices” do detetive. Esse livro é dividido em duas partes, e por isso, ele traz muito mais surpresas do que se pode esperar. Principalmente porque esse livro não segue a linha normal do gênero policial, como por exemplo, O Inocente (falei sobre ele aqui). No livro de Doyle, a investigação e a mente do assassino coexistem paralelamente, e nós temos que nos adaptar a leitura para entender todo o contexto.

A parte mais interessante para mim é que, no decorrer do livro, me peguei tentando conectar de alguma maneira com a mente de Sherlock, tentando enxergar as coisas como ele, ou até mesmo buscando decifrar as pistas que ele achava. Infelizmente, não obtive sucesso. Além disso, as vezes, pensava se realmente matar alguém teria justificativa. Não me entendam mal, ao contrário, fiquei fascinada em como o autor poderia nos influenciar a pensar até em nossas crenças com suas palavras e o contexto exposto no livro. E no final, a solução para o crime ia muito além do que eu imaginava. Outro ponto que achei interessantíssimo, pois mesmo presa aos detalhes, o final ainda surpreende e nos deixa com vontade de ler o próximo, imaginando que na próxima leitura, com as características dadas nesse livro de cada personagem, conseguiremos entender a mente do detetive e conseguiremos desvendar o mistério antes mesmo dele. E aí, me enganei novamente.  😆

Alguns links para quem quiser ter acesso rápido para comprar o livro, os dois últimos são livros de bolso:

1- Saraiva

2- Amazon

3- Livraria Cultura

E vocês? Já leram o livro? O que acharam? Se saíram melhor do que eu nas pistas do mistério? Haha conta aqui nos comentários!!

Até a próxima, caros leitores!

Lola.

Paola Latrônico

Sobre Paola Latrônico

Estudante de Relações Internacionais. São Paulo - Brasil.

Todos os posts

Posts Aleatórios

Paola LatrônicoUm Estudo em Vermelho

1 comment

Join the conversation
  • Lúcia Cruz Yuaoca - 26 de outubro de 2017

    “Um estudo em vermelho”, um dos ramance policial do escritor Arthur Conan Doyle. Foi o primeiro livro com Sherlock Holmes, detetive super conhecido na literatura policial. É nessa obra que ele conhece seu parceiro, Dr. Watson, um narrador e participante dessas aventuras. Adoro os livros de Sir Arthur Conan Doyle. Já li “O cão dos Barkerviller, As aventuras de Sherlock Holmes e alguns contos”, excelentes livros.

Deixe uma resposta